0 ítens - R$ 0,00 Entre em contato conosco! (+55) 11 3230 7042

Facebook

Main Content

FAQs


Por favor clique nas perguntas abaixo para saber mais sobre como o Vapor Pin® pode auxiliar você em seu teste de campo.

Precisa de mais informação?
Entre em contato com a Laurie Ann Chilcote Diretora da Vapor Pin do Brasil:
Telefone: (+55) 11 3230 7042 

Por que o meu Vapor Pin® falhou em um teste de vazamento de hélio?

Nós não podemos descartar o vazamento, mas é raro acontecer com Vapor Pins®, e se você detectou hélio em múltiplos pontos da amostra, isso pode sido causado por falsos positivos a partir do metano. A maioria dos detectores de hélio responde positivamente ao metano. Da mesma forma, há relatos de que elevadas concentrações de hidrocarbonetos C5-C12 nos vapores do solo tem causado falsos positivos nos detectores de hélio. A geração de metano é comum quando o oxigênio é esgotado por altas concentrações ou grandes fontes de hidrocarbonetos, especialmente em produtos petrolíferos contendo etanol. Essa é uma das razões pela qual VAPOR PIN®VAPOR PIN®incentiva testes de vazamento por meio de meios mecânicos, como descrito em nosso SOP Teste de Vazamento Vapor Pin® por meio de Meios Mecânicos (localizado sob a nossa Página de Recursos), e como discutido no ‘Interstate Technology & Regulatory Council’ (ITRC), 2014 Petroleum Vapor Intrusion guidance. Se você usar um detector de vazamento de hélio, nós recomendamos a utilização de um modelo que não responda ao metano e que teste os vapores do solo para falsos positivos antes da aplicação de hélio.

Quais são as opções de entrega?

Durante o checkout, as opções de entrega serão exibidas em uma listagem após digitar seu endereço e CEP.

Total Express levanta até 18h. Entrega em até 24h nas principais cidades atendidas.

Você pode também acessarwww.totalexpress.com.br para determinar o tempo do trânsito. Digite o nosso código postal para a proveniência (43064) e digite seu código postal do destino de entrega.

De que modo o Vapor Pin® é melhor do que outros métodos existentes para amostragem de vapores do subsolo?

O Vapor Pin® é superior a outros métodos de amostragem de vapores do contrapiso porque:

1) é constituído por uma peça de metal única, eliminando potenciais pontos de vazamento;

2) é instalado em minutos usando ferramentas comuns;

3) utiliza uma manga de silicone para formar uma vedação estanque entre o Vapor Pin® e o furo, eliminando a necessidade de utilização de argamassa ou outros adesivos; e

4) ao contrário de outros dispositivos de amostragem, é facilmente recuperado para reutilização.

O Vapor Pin® pode ser usado para amostrar todos os VOCs?

O Vapor Pin® fornece um meio de transmissão de vapores do solo através da laje de modo que possam ser amostrados. O conjunto específico de VOCs que serão reportados depende do método analítico utilizado pelo seu laboratório.

Distribuidores na Austrália, Brasil, Canadá e Europa

Nós temos atualmente Distribuidores na Austrália, Brasil, Canadá e Europa.

Para encomendas no Brasil:

Envirologek Inc. / Envirologek Latinoamerica S.R.L.

Lowell Gerardo Kessel

Email: info@envirologek.com

Teléfono: (714) 709-3683 (USA)

WhatsApp: ‎(714) 709-3683

www.Envirologek.com

EUA | América Central | América do Sul

O Vapor Pin® pode ser instalado como uma montagem embutida?

Sim, o Vapor Pin® foi desenvolvido para ser instalado com a configuração de montagem por adesão ou montagem embutida. Nós recomendamos que o Vapor Pin® seja instalado com a configuração por adesão se ele for usado para um evento único de amostragem e depois for removido e na configuração de montagem embutida se for para ser mantido no mesmo local para amostragens repetidas. As tampas plásticas da montagem embutida são fornecidas com o Kit Vapor Pin®, mas as tampas de proteção de aço inoxidável estão também disponíveis e proporcionam maior proteção contra danos ou adulteração. O Procedimento Operacional Padrão (SOP) do Uso da Guia de Perfuração e Tampa de Proteção do Vapor Pin® descreve o procedimento de instalação da montagem embutida. Como descrito no SOP, a Guia de Perfuração opcional simplifica a instalação da montagem embutida e melhora a precisão da profundidade e localização do furo.

O Vapor Pin® pode ser usado para amostragem de intrusão de vapores?

O Vapor Pin® foi desenvolvido para utilização em estudos de intrusão de vapores, assim como delimitação da fonte. Nós sugerimos que a guia de orientação seja consultado para obter procedimentos adequados de detecção de vazamento, taxas de fluxo de vapores do solo, recipientes de amostragem adequados e duração apropriada do período de amostragem. O Vapor Pin® deve ser deixado no local se forem necessários vários ciclos de amostragem. Vários estados permitem o uso de Vapor Pin® para amostragem de intrusão de vapores, mas nós recomendamos que você consulte as normas ambientais da sua região.

O que exatamente está incluído no Kit Vapor Pin®?

Os kits Vapor Pin® estão disponíveis em quatro variações.

  • O Kit Vapor Pin® Standard contém os seguintes itens, convenientemente acomodados em uma Mala de Transporte rígida: 10 Vapor Pins® (latão ou aço inoxidável); 20 Mangas de Silicone, 20 Tampas Vapor Pin®, 10 Tampas de Plástico para Montagem Embutida; 1 Ferramenta de Instalação/Extração; 1 Escova; 1 Barreira de Água para teste de vazamento; e 1 Procedimento Operacional Padrão Vapor Pin®.
  • O Kit de Construtor contém o mesmo equipamento que o Kit Standard, além de 1 Guia de Perfuração de Aço Inoxidável, 10 Tampas de Proteção para Montagem Embutida (em vez das 10 tampas de plástico), e 1 Chave de Fendas para instalar e remover as tampas de proteção. O Kit de Construtor oferece mais proteção contra danos ou adulteração que o Kit Standard, mas ambos podem ser utilizados para instalações de montagem embutida ou por adesão.

Nós recomendamos que você adquira inicialmente um Kit Vapor Pin® para garantir que todos os componentes necessários sejam obtidos. Componentes individuais do Kit também podem ser adquiridos conforme a necessidade. O tubo de amostragem também está disponível separadamente. Também está disponível separadamente a ferramenta do Elastrador, que simplifica o processo de colocação das mangas de silicone no Vapor Pin® antes da instalação.

Existe uma forma mais fácil de instalar a manga de silicone no Vapor Pin®?

Nós recomendamos que enrosque o Vapor Pin® na ferramenta de instalação, e empurre a manga sobre a extremidade inferior do Vapor Pin®. A ferramenta opcional do Elastrador facilita este processo, colocando as extremidades do Elastrador na ponta da manga de silicone e apertando o cabo da ferramenta para abrir a manga à medida que a empurra contra o Vapor Pin®. Nós polimos os Vapor Pins® antes do envio para reduzir arestas afiadas, mas você ainda deve utilizar luvas de proteção enquanto instala a manga.

 

Quanto tempo leva para instalar o Vapor Pin®?

O Vapor Pin® pode ser instalado na configuração por adesão em menos de 5 minutos. A instalação na configuração de montagem embutida requer dois ou três minutos adicionais.

O que preciso para instalar um Vapor Pin®?

O Vapor Pin® é facilmente instalado usando ferramentas manuais comuns. Nós recomendamos a compra do Kit Vapor Pin®, o qual inclui tudo o que você precisa para 10 instalações de Vapor Pin®. As únicas ferramentas necessárias (além do Kit Vapor Pin®) são um martelo perfurador e brocas apropriadas e um martelo de borracha. Veja o Procedimento Operacional Padrão Vapor Pin® para mais detalhes. NÃO é necessário argamassa ou outros adesivos.

Que tipo de brocas são utilizadas por Vapor Pin Enterprises, Inc. durante a instalação do VAPOR PIN®?

Nós usamos uma furadeira de impacto fabricado pela Hilti (TE 50 Deluxe Grounded Combihammer, item # 383916), com brocas de perfuração TE-YX 1,6 cm x 55,88 cm (item # 206514) e TE-YX 3,81 x 58,42 cm (item # 293032). Disponível no site aqui. Brocas similares também estão disponíveis por outros fabricantes.

Dúvidas sobre metragem – Utilize 16mm para o pino e 38mm para as tampas, nós sugerimos 400mm para comprimento de corte para ambos os tamanhos.

Quanto tempo leva após a instalação para amostrar um VAPOR PIN®?

Como o VAPOR PIN® não requer o uso de argamassa, a amostragem pode ser realizada assim que o vapor do contrapiso tenha atingido o equilíbrio. O período de tempo pode ser prescrito por diretrizes específicas, mas pode ser de apenas 20 minutos após a instalação, uma vez que as instalações do VAPOR PIN® resultam em tempos curtos de abertura do furo.

 

Que tipo de tubos preciso para amostragem de vapores do solo?

Teoricamente, o aço inoxidável é melhor porque tem menor reatividade (por exemplo, é menos provável que absorva ou libere vapores), mas o tubo de plástico flexível é mais fácil de manusear, mais acessível e inteiramente satisfatória se forem tomadas as devidas precauções. Em geral, os tubos mais flexíveis são mais reativos do que os tubos mais rígidos. Os tubos semirrígidos de Nylon e Teflon são mais amplamente recomendados para a amostragem de vapores do solo, mas também pode ser aceitável a utilização de outros, dependendo das diretrizes aplicáveis. A maioria ou todas os canisters do tipo Summa, e muitos outros recipientes de amostras e acessórios, foram projetados para aceitar tubos de diâmetro externo (DE) de 0,635 cm. Vapor Pin Enterprises, Inc. oferece 0,635 cm de Nylaflow LM, que tem uma resistência química superior aos tubos genéricos de nylon e é mais barato do que o Teflon. A reatividade química dos tubos de polietileno torna inadequada a sua utilização para a amostragem de intrusão de vapores, mas pode ser adequado para vapores de alta concentração perto das fontes de contaminação. Todos os tubos de plástico devem ser substituídos entre as amostras, armazenados e manuseados longe das fontes de vapores. Os tubos flexíveis, tais como Tygon ™, são recomendados apenas para fazer conexões entre tubos semirrígidos e outros dispositivos, como discutido abaixo.

Como conecto um tubo de amostragem ao VAPOR PIN® e outros equipamentos?

Os tubos Tygon fazem a conexão entre o VAPOR PIN® e Nylaflow. A maior parte dos canisters tipo Summa e reguladores estão equipados com juntas de compressão Swagelok™ que se conectam a tubos de diâmetro externo (DE) de 0,635 cm, incluindo Nylaflow, com terminais Swagelok™ e uma porca hexagonal. A porca pode ser reutilizada, mas os terminais não, exceto nos tubos de aço inoxidável. Vários laboratórios fornecem terminais Swagelok™ que se encaixam nas vasilhas de amostras por um preço simbólico.

Como o VAPOR PIN® foi desenvolvido para ser rígido e compatível com outro equipamento de amostragem, ele tem um encaixe em espiga nominal de 0,635 cm na parte superior. Tal como outros encaixes em espiga, ele é um pouco maior que 0,635 cm de diâmetro, de modo que o VAPOR PIN® é unido ao tubo semirrígido, por exemplo Nylaflow, com uma pequena porção de tubo maleável. Vapor Pin Enterprises, Inc. oferece os tubos Tygon ™ R-3063 para fazer essas conexões. Tygon ™ oferece melhor resistência química do que outros tubos maleáveis, mas é flexível o suficiente para fazer uma selagem firme. O tubo Tygon ™ é colocado entre o VAPOR PIN® e o tubo semirrígido e se encaixa sobre ambos. Os indicadores de pressão, conexões T, e outros dispositivos com uma conexão de 0,635 cm podem ser anexados à ligação da amostragem com tubos Tygon ™. A ligação da amostragem também pode ser montada com encaixes de compressão, se desejado, mas os terminais adicionais necessários em cada conexão adicionam tempo e custos à amostragem. Além disso, pela nossa experiência, os encaixes em espiga são menos propensos a vazar do que as conexões de compressão, especialmente sob pressão negativa. De fato, o guia de intrusão de vapores de Missouri 2004 desencoraja a utilização de encaixes de compressão em todos os pontos, exceto na vasilha da amostra, pela tendência de vazamentos.

Tygon™ tem melhor resistência química que os tubos maleáveis, como os de silicone, mas a alta flexibilidade do silicone permite a conexão de dispositivos com diferentes diâmetros. O silicone também pode ser penetrado com uma seringa hipodérmica para alguns tipos de amostragem, sendo que após esse procedimento o tubo sela automaticamente o furo. Tal como acontece com todas as amostras ambientais, o seu equipamento deve estar em conformidade com os procedimentos de qualidade das normas vigentes.

Por favor note que a interferência química dos tubos depende de muitos fatores, mas os tubos são mais suscetíveis a contribuir com hidrocarbonetos do que compostos clorados. Para minimizar o risco de interferência química de todos os tubos, reduza o comprimento dos tubos tanto quanto possível, em particular nos tubos maleáveis, e mantenha os tubos longe de fontes de vapor durante o armazenamento e transporte.

O VAPOR PIN® fornece uma vedação no contrapiso?

Em circunstâncias normais, com uma instalação adequada através de uma laje de concreto, o VAPOR PIN® fornece uma vedação resistente. Vapor Pin Enterprises, Inc. tem testado o VAPOR PIN® quanto a vazamento com hélio; com 99% de hélio na película do teste de vazamento, nenhum hélio (<50 ppm) foi detectado nos vapores do solo. Em algumas situações, tais como um piso com espessura fina de concreto, ou um piso de concreto rachado e danificado, ou um furo de diâmetro superior a 1,6 cm, pode resultar em uma vedação insuficiente. Nós recomendamos o teste de vazamento como parte do procedimento de amostragem.

Como posso fazer o teste de vazamento do VAPOR PIN®?

Como em todas as amostragens de intrusão de vapores, você deve seguir os procedimentos de qualidade das normas vigentes. Vapor Pin Enterprises, Inc. prefere fazer o teste de vazamento no poço de amostragem no contrapiso (VAPOR PIN®) com água destilada, e o restante dos equipamentos da amostragem (vasilha, tubos e encaixes) por vácuo, como descrito no Procedimento Operacional Padrão de Teste de Vazamento do Vapor Pin® através de Meios Mecânicos. O VAPOR PIN® também pode ser testado quanto ao vazamento através de hélio ou outros gases traçadores, da mesma forma como em outros dispositivos de amostragem do contrapiso.

 

Qual a quantidade de vapores do solo que deve ser retirada do VAPOR PIN® antes da amostragem?

Os procedimentos de qualidade devem especificar o número particular dos volumes de purga, mas dois ou três volumes são a recomendação habitual. Para o VAPOR PIN®, um volume de purga é igual a: 0.83 mililitros (ml) para o VAPOR PIN®, mais 5 ml para cada 2,55 cm do furo abaixo do VAPOR PIN®, mais 0,42 ml para cada 2,55 cm de tubo; se utilizar Nylaflow LM de 0,635 cm, mais o volume interno de qualquer outra conexão ou equipamento na ligação da amostragem.

Se você quiser calcular o volume de purga com base nas dimensões do equipamento, o VAPOR PIN® tem um comprimento total de 8,25 cm, das quais 5,08 cm ficam no interior do furo de 1,6 cm no contrapiso, e 5,08 cm ficam acima do furo de 1,6 cm. O diâmetro interno (DI) do Vapor Pin® é 0,47 cm. Os tubos Nylaflow LM tem um diâmetro externo (DE) de 0,63 cm e um DI de 0,47 cm. Os tubos Tygon™ tem um DE de 0,8 cm e um DI de 0,47 cm. Lembre-se que como os tubos Tygon™ irão se expandir na utilização, estes devem ser utilizados em comprimentos curtos para minimizar o contato com os vapores do solo, sendo que o seu DI não fará parte do cálculo do volume de purga.

Vapor Pin Enterprises, Inc. prefere realizar a purga dos vapores do solo com uma combinação de Detector de Fotoionização (PID) e medidor de oxigênio (O2), e coletar a amostra depois da estabilização do PID e níveis de O2, indicando a presença de vapores no solo. VOCs e O2 normalmente estabilizam após a purga de 50 a 100 ml de vapores do solo, que geralmente equivale cerca de três volumes de purga, dependendo da espessura do piso e comprimento do tubo.

O tubo de silicone em volta do VAPOR PIN® irá afetar a minha amostra?

Nós usamos tubos de silicone curado a peróxido (mangas de silicone), usado para formar uma vedação para o VAPOR PIN®. Nossos estudos indicam que o tubo não afeta os resultados da amostra. Os tubos envolvem a metade inferior do pino formando a vedação entre o furo de 1,6 cm e o VAPOR PIN®. Os vapores do contrapiso são poucos expostos aos tubos de silicone. Comparações com pontos de amostragem convencionais indicam que vapores do solo não são adicionados pela manga de silicone. Além disso, Vapor Pin Enterprises, Inc. examina os tubos de silicone no momento da chegada para garantir que mangas com elevados níveis de VOCs não sejam enviadas para os clientes.

O VAPOR PIN® pode ser reutilizado após extração?

Sim – o VAPOR PIN® foi desenvolvido para ser reutilizado depois de ser removido da laje. Vapor Pin Enterprises, Inc. usou alguns VAPOR PIN® pelo menos doze vezes, sem sinais evidentes de desgaste. A manga e a tampa de proteção devem ser substituídas quando instaladas em locais diferentes, e o VAPOR PIN® deve ser adequadamente descontaminado de acordo com o Procedimento Operacional Padrão.

Como descontaminar o VAPOR PIN® entre as instalações?

A descontaminação do VAPOR PIN® é descrita no Procedimento de instalação Padrão e consiste em remover e descartar a manga de silicone e a tampa de proteção, limpando o VAPOR PIN® em uma solução de Alconox ou equivalente, lavando cuidadosamente, e aquecendo-o a uma temperatura de 130°C.

Posso deixar um VAPOR PIN® no local entre eventos de amostragem?

Sim. O VAPOR PIN® pode permanecer no local o tempo que for necessário. Para o uso repetido, recomendamos uma instalação de montagem permanente tipo “flush mount” usando um Vapor Pin® de aço inoxidável para proteger o pino de danos e corrosão. Lembre-se que a tampa da montagem embutida não é à prova de água e não deve permanecer no local em áreas sujeitas a vazamentos de contaminantes. Se não for necessária uma amostragem futura, o VAPOR PIN® deve ser removido e o furo no piso preenchido com cimento hidráulico.

O VAPOR PIN® irá vazar vapores para o edifício se o deixar no local?

Se for corretamente instalado com a sua tampa de proteção, não haverá qualquer fuga de vapores para dentro da estrutura do edifício através do VAPOR PIN®. Baseado em nossa experiência, e a dos nossos clientes, o VAPOR PIN® tem menos probabilidade de vazar do que outros dispositivos.

O VAPOR PIN® causará danos ao piso?

A instalação do VAPOR PIN® irá resultar em um furo com diâmetro de 3,81 cm (instalação de montagem permanente “Flush mount”), ou um furo de 1,6 cm (instalação temporária “Stick-up”). Após a remoção do VAPOR PIN®, o furo deve ser preenchido com cimento hidráulico. Sendo assim, não deveria haver nenhum dano ao piso. O VAPOR PIN® é um método de grande eficácia que não causará mais danos do que outros métodos de amostragem de sub-laje.

O VAPOR PIN® pode ser utilizado em lajes de qualquer espessura?

O VAPOR PIN® foi desenvolvido para ser utilizado em lajes com uma espessura de pelo menos três polegadas (7.62cm). Se o VAPOR PIN® for instalado como montagem permanente (flush mount), sugerimos que a laje tenha, pelo menos, quatro polegadas(10.16cm) de espessura. Embora seja importante alcançar o fundo da laje, não é necessário o VAPOR PIN® ter o cumprimento da laje, desde que a sua broca seja longa o suficiente para perfurar até o contrapiso. Uma broca de 1,6 cm, com um comprimento de 61 cm, cobre a maioria das situações. Caso você queira que o VAPOR PIN® alcance o fundo da laje, existem extensões que foram criadas para esta função. Sendo assim, não há uma espessura máxima para a laje

Existe algum produto semelhante ao VAPOR PIN®?

Nós não temos conhecimento de outro dispositivo que seja exatamente como o patenteado Vapor Pin®. Outros tipos de dispositivos de amostragem de vapores de contrapiso instalados com cimento estão disponíveis, e alguns profissionais construíram sua própria versão a partir de peças de encanamento. Porém, o custo de localizar peças, problemas com vazamentos e o fato de uma vez instalados, não poderem ser reutilizados, tornando-se os mesmos mais caros em longo prazo. Acreditamos que o VAPOR PIN® se torne o novo padrão de amostragem de vapores de contrapiso, porque é fácil, rápido de instalar e usar, podendo ser utilizado várias vezes, além de fornecer amostras de qualidade com pouco ou nenhum vazamento.

Devo comprar VAPOR PIN® de bronze ou aço inoxidável?

No mercado brasileiro, fornecemos somente produtos de aço inoxidável. Normalmente, se utiliza o VAPOR PIN® de bronze para instalações temporárias (amostragem única) e aço inoxidável para instalações em longo prazo (amostragens periódicas), devido à maior resistência à corrosão. O VAPOR PIN® de aço inoxidável tem uma durabilidade maior que a dos pinos de bronze, de forma que, em longo-prazo você estará economizando dinheiro pelo fato do produto ser reutilizável.

Há alguma forma de anexar uma peça do tubo, filtro, ou outro acessório à extremidade do VAPOR PIN®?

Os VAPOR PIN® são fabricados com uma rosca fêmea na extremidade especificamente para anexar um Adaptador Espiga (Extensão Barb), disponível na loja virtual da Vapor Pin®. O Adaptador Espiga (Extensão Barb) permite você anexar tubos à extremidade do VAPOR PIN® para aumentar a profundidade dos poços de monitoramento, para adicionar um filtro ou válvulas com crivo que permite a entrada de ar lateralmente evitando o entupimento quando as amostras são coletadas abaixo da laje. O Adaptador em Espiga (Extensão Barb) tem o mesmo tamanho da espiga como no topo do Vapor Pin® permitindo o uso dos mesmos tubos (Nylaflow & Tygon).

Você também pode aumentar a profundidade dos poços de monitoramento com a Extensão VAPOR PIN® de 3,8cm que também pode ser enroscado na parte inferior do VAPOR PIN®. A extensão tem roscas masculinas no topo e femininas parte inferior da peça, permitindo que você os enrosque conjuntamente para alcançar a profundidade do poço de monitoramento de acordo com suas necessidades.

O VAPOR PIN® e seus acessórios estão evoluindo rapidamente para acompanhar as necessidades de nossos clientes. Em caso de qualquer dúvida, não hesite em nos contatar para discutir a disponibilidade dos novos produtos desenvolvidos, custos e prazo de entrega.

Quais são as medidas para instalação do VAPOR PIN®?

Use 16 mm para o pino e 38 mm para as tampas, nós sugerimos 400 mm de comprimento de corte para ambos os tamanhos.

 

É possível conectar o Vapor Pin® em conexões Swagelok?

O FLX-VP foi especificamente projetado para se conectar a uma variedade de outros dispositivos, incluindo as conexões de compressão Swagelok. A conexão Swagelok padrão para tubos de DE 0,635 cm Nylaflow e Teflon, e para tubos de absorção TO-17 está disponível em nosso website com (número da peça SL_FLX1_Fitting). As virolas para vedação da conexão, também estão disponíveis para compra.

 

Contaminação Gás do Solo Siloxano

Em primeiro lugar, determinados procedimentos específicos podem existir na sua região. De uma forma geral…

Os tubos de silicone são mais reativos do que os tubos mais rígidos, ou seja, o silicone e os tubos mais flexíveis em geral são mais propensos a absorver e a liberar vapores de compostos orgânicos. Greg Ouellette’s 2004 Soil Vapor Sampling and Analysis – Lessons Learned, DOE/PERF Soil Vapor Workshop, Brea, CA Jan. 27-29, é um dos vários relatórios que demonstra a maior reatividade dos tubos flexíveis, estes estão fora do contexto para a nossa aplicação. Ouellette retirou vapores através de 15,24 metros de tubo Tygon, que tinha aproximadamente 216 cm quadrados em contato com os vapores do solo. No caso do Vapor Pin®, o único contato entre o tubo flexível (Silicone) e os vapores do solo é a área da seção transversal entre o piso e a parte inferior do pino, que é de 0,28 cm2. Apesar do silicone absorver alguns VOCs, o tubo atingiria o equilíbrio em algum momento e pararia de absorver vapores.

Nós testamos o tubo de silicone logo após o seu recebimento, retirando ar ambiente ao longo de todos os seus 15,24 m de comprimentos com um detector de fotoionização. O tubo pode conter índices de vapores nos primeiros dias, especificamente siloxanos, que não se encontram em qualquer lista de intrusão de vapores. Nós continuamos testando durante vários dias até que todo o comprimento do tubo contribua com menos de 1 ppm de VOCs. Em seguida, cortamos os tubos em pequenos segmentos e deixamos continuar a ventilação antes de usá-los.

Existem algumas questões relativamente obscuras, como o tipo de hélio que deve ser usado durante o teste de vazamento, ou quando usar conexões em espiga versus de compressão, quando a maioria dos problemas se resume a algumas questões:

1)    Execute um teste de vazamento (shut-in) na junção do canister e regulador, conforme descrito na norma ASTM D7663-11, antes de ir para o campo. Teste o vazamento da corrente de amostragem montada no local, exceto para a conexão com o Vapor Pin®, ou ponto equivalente, com uma bomba de vácuo ou peristáltica portátil. Por fim, conecte o trem de amostragem (sample train) no ponto do contrapiso e teste o vazamento no ponto. O hélio funciona, mas nós usamos água destilada. Em certos casos, você encontrará vazamentos, mas nós nunca vimos isso com o VAPOR PIN®. Nós também verificamos a taxa de fluxo do regulador antes do teste de pressão (shut-in test). Uma taxa de fluxo inadequada é mais propensa a resultar na inexistência de amostra do que uma amostra inválida. Nós desenvolvemos nossas próprias técnicas caso você tenha interesse. Além de aplicar nossas técnicas, apresentando a documentação dos resultados do seu teste ao laboratório aumentará a sua credibilidade. Até mesmo os melhores laboratórios, ocasionalmente, fornecem equipamento com defeito.

2)  Minimize o comprimento dos tubos flexíveis, empurrando o tubo mais rígido ou dispositivo um contra o outro, o mais próximo possível. Em nossa opinião, as conexões por compressão são mais propensas a vazar, sem mais.

3)     Evite laboratórios incompetentes sempre que puder optar.
4)      Colete um número adequado de amostras para avaliar a heterogeneidade espacial. Esta pode ser a parte mais importante. Pelo menos, quando se trabalha perto de fontes, nós descobrimos várias vezes que a fonte primária não era onde nós esperávamos que fosse, e nossa melhor suposição teria fornecido concentrações que são ordens de grandeza menores do que o máximo. A única solução é perfurar muitos furos, o que é prático com o VAPOR PIN®. Eu instalei 56 em um dia, e meus colegas mais jovens já instalaram 90. Em muitos casos, você pode avaliá-los com um PID e coletar alguns furos para análise no laboratório.

Por favor consulte os nossos documentos na aba de (videos/documentos) para obter informações adicionais, especialmente aquele do caso de Michigan DEQ em que foram instalados quatro Vapor Pin® junto aos seus pontos do contrapiso “convencionais” (conexões Swagelok colocadas no cimento). Eles utilizaram uma variedade de laboratórios, recipientes para amostras e métodos de análise ao longo de meses. De qualquer forma, nós fomos bem-sucedidos quando comparamos o Vapor Pin® com relação aos pontos convencionais. O segundo documento foi realizado em conjunto com os laboratórios H&P em San Diego. Os seus pontos de contrapiso,como descrito no guia, equivalem aos pequenos poços de monitoramento, preenchidos com blocos de areia e telas. Eles coletaram 10 pares de amostras e, novamente, a correlação é excelente. Apesar de todas as questões relacionadas com as mangas de Silicone e o Tygon utilizado para fazer conexões, e outros problemas que não tínhamos abordado. O fato é que obtivemos os mesmos resultados ao longo de uma ampla variedade de concentrações e compostos, o que comprova que os Vapor Pins® fazem aquilo para que foram desenvolvidos.